Pages

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Vale a pena ler!

Enviado através do WhatsApp para mim.

Na cidade de Joinville houve um concurso de redação na rede municipal de ensino. 
O título recomendado pela professora foi: 'Dai pão a quem tem fome'. 
Incrível, mas o primeiro lugar foi conquistado por uma menina de apenas 14 anos de idade. 
E ela se inspirou exatamente na letra de nosso Hino Nacional para redigir um texto, que demonstra que os brasileiros verde amarelos precisam perceber o verdadeiro sentido de patriotismo. 
Leiam, e se emocionem assim como eu, o que escreveu essa jovem. 
É uma demonstração pura de amor à Pátria e uma lição a tantos brasileiros que já não sabem mais o que é este sentimento cívico.

Eis o que a garota escreveu: 
👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

“Certa noite, ao entrar em minha sala de aula, vi num mapa-mundi, o nosso Brasil chorar:
O que houve, meu Brasil brasileiro? Perguntei-lhe! 
E ele, espreguiçando-se em seu berço esplêndido, esparramado e verdejante sobre a América do Sul, respondeu chorando, com suas lágrimas amazônicas: 
- Estou sofrendo. Vejam o que estão fazendo comigo... 
Antes, os meus bosques tinham mais flores e meu seio mais amores. Meu povo era heróico e os seus brados, retumbantes. O sol da liberdade era mais fúlgido e brilhava no céu a todo instante. 
Onde anda a liberdade, onde estão os braços fortes? Eu era a Pátria amada, idolatrada. Havia paz no futuro e glórias no passado. Nenhum filho meu fugia à luta. Eu era a terra adorada e dos filhos deste solo era a mãe gentil. 
Eu era gigante pela própria natureza, que hoje devastam e queimam, sem nenhum homem de coragem que às margens plácidas de algum riachinho, tenha a coragem de gritar mais alto para libertar-me desses novos tiranos que ousam roubar o verde louro de minha flâmula. 
Eu, não suportando as chorosas queixas do Brasil, fui para o jardim. Era noite e pude ver a imagem do Cruzeiro que resplandece no lábaro que o nosso país ostenta estrelado. 
Pensei... Conseguiremos salvar esse país sem braços fortes? 
Pensei mais.... Quem nos devolverá a grandeza que a Pátria nos traz? 

Voltei à sala, mas encontrei o mapa silencioso e mudo, como uma criança dormindo em seu berço esplêndido.”

👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

quarta-feira, 25 de maio de 2016

O fogo pegou


Essa noite tive um sonho
Sonhei com a dança do amor
O ritmo é quente, muito envolvente
Ta subindo um calor

As pernas dançam
O corpo balança
Os braços se agitam
Cabeça levanta
Na dança do amor
O fogo pegou, o fogo pegou
Na dança do amor
O fogo pegou, o fogo pegou

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Só quero agradecer


Sigo em frente
Não tenho tempo a perder
Aprecio as pessoas ao meu redor
Aprendendo a transcender
Os segredos da vida...
Estão no coração

Vivo intensamente
Como se fosse a última vez
A esperança que tenho na alma
Deixo explodir em forma de canção

Oh tempo! Não vá tão depressa
Congele, demore um pouco mais
A cada dia que fico mais velha
As crianças crescem rápido demais
Assim depressa a inocência se vai

Eu sou avó, que tenho muito amor pra dar
Eu dou avó, sou amor, amor pra dar
A camilla, Mirella e Tici
Cauan e Gabriel...
E a quem mais chegar

Presentes que a vida me deu
Presentes gratuito que a vida me deu
Só quero agradecer!

(NiceVeloso)

segunda-feira, 7 de março de 2016

Wanderley Cardoso canta "Lua Branca" - 1978.


                   
                   
Lua Branca
Chiquinha Gonzaga
  

Oh, lua branca de fulgores e de encanto
Se é verdade que ao amor tu dás abrigo
Vem tirar dos olhos meus o pranto

Ai, vem matar essa paixão que anda comigo
Oh, por quem és desce do céu, oh lua branca
Essa amargura do meu peito, oh, vem, arranca

Dá-me o luar de tua compaixão
Oh, vem, por Deus, iluminar meu coração
E quantas vezes lá no céu me aparecias

A brilhar em noite calma e constelada
E em tua luz então me surpreendias
Ajoelhado junto aos pés da minha amada

E ela a chorar, a soluçar, cheia de pejo
Vinha em seus lábios me ofertar um doce beijo
Ela partiu, me abandonou assim
Ó, lua branca, por quem és, tem dó de mim

Slideplayer⚡Apresentação 'Prof. Rafael Faria Música Popular Brasileira.

 http://slideplayer.com.br/slide/3734347/

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Augusto Rodin

O Pensador é uma das mais famosas esculturas de bronze do escultor francês Auguste Rodin. Retrata um homem em meditação soberba, lutando com uma poderosa força interna. Wikipédia

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Tempo


Tempo de viver
Tempo de sorrir
Tempo para refletir
Tempo de entender
Que pra se vencer
É preciso progredir

Veja estrelas brilhando
No firmamento
Amor e respeito são flores
Que vem de dentro.

Tudo que temos 
São recordações
Tempestades e ventos
Sol de verão
Gente parece
 Um mata-borrão
Vamos viver o agora
Amanhã é ilusão

(NiceVeloso) 

sábado, 19 de dezembro de 2015

Lynyrd Skynyrd - Simple Man (Live) [Legendado PT-BR]

Scorpions - You and I - Legendado HD

the garden - rush - legendado.flv

Ao meu país



 Não posso me calar Brasil, por que te amo!
Cuidarei de ti com total dedicação
Como todo cidadão que se preze
 Fico de olho e digo não
A injustiça social, a essa tal corrupção. 

Sou nordestina no duro.
Das vestes até o falar...
Com o meu bê-á-bá afiado,
Não me deixo enganar!
Abro a boca e solto o verbo,
Em ladrão não vou votar!

Sou um agente multiplicador 
De ideais humanísticos: 
Paz, cultura e educação. 
Venho tentando levantar-me a cada dia 
Como um “Gigante filósofo da justiça.” 
Não é hora de esperar, é hora de agir.
Contra essa tirania
 JUSTIÇA SOCIAL JÁ.
 Unindo forças contra a corrupção
 E respeito aos direitos humanos! 

(NiceVeloso)

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

SÓ DE SACANAGEM


Meu coração está aos pulos! 

Quantas vezes minha esperança será posta à prova? 

Por quantas provas terá ela que passar? Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu, do nosso dinheiro que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós, para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais, esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais. 

Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova? 

Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? 

É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz. 

Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam: "Não roubarás", "Devolva o lápis do coleguinha", "Esse apontador não é seu, minha filha". Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar. 

Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar e sobre a qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará. Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda vou ficar. 

Só de sacanagem! Dirão: "Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo mundo rouba" e vou dizer: "Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos, vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau." 

Dirão: "É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal". Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal. Eu repito, ouviram? Imortal! Sei que não dá para mudar o começo mas, se a gente quiser, vai dar para mudar o final!



quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Um cavaleiro andante

   


Noite criada por mim igual a todas as noites, nada diferente estou feliz.
Um cavaleiro andante preparou seu ritual dentro da noite criada por Deus talvez quem sabe, pelos homens. Noite explandorosa! Noite crispada de sonhos, crispada de desejos
Pássaros azuis rasgando o céu anunciam a chegada da noite. Que noite!
Jovens namorados sussurram amor, crianças que choram, outras sobresaltadas, perdidas, sozinhas, de arma nas mãos.
Mulheres que lamentam por ter perdido seu cavaleiro andante dentro desta noite....
Algemas sangrentas salpicadas de gente forte
Quebram o silèncio da noite, nesta noite só de amor!
Noite misteriosa! Onde o além fica perto do aqui e o aqui tão distante do amor de agora! 
Observando toda a magia e o mistério que envolve o espaço de lá,
Sinto a beleza ao ver a lua brilhando e flutuando no espaço de cá
 Iluminando esta noite de amor.

NiceVeloso

domingo, 11 de outubro de 2015

Já encheu até a tampa.



Já encheu até a tampa
Diga lá
Essa arte de enganar
Diga lá
Chega de tanta milonga
Diga lá
A honestidade deve vingar
O auê tem que acabar
Se não acabar,
Pra cima de quem isso vai estourar?
Precisamos de uma chance
Diga lá
Para a vida melhorar 
Diga lá 
Se uma palavra muda tudo 
Imagine uma atitude 
O auê tem que acabar 
Se não acabar, 
Pra cima de quem isso vai estourar?

(NiceVeloso)

Deixe-me Seguir!




Sob o seu controle
Não consigo respirar
Não vou lhe deixar por perto
O suficiente para me machucar.
Transformei minhas mágoas
Em ouro puro
Isso pra mim é tudo.
Abri a porta na hora certa
Resgatei o que fui
Para ser quem eu quero ser
Humana inteiramente.
Deixe-me seguir assim
Feliz, a sonhar, a sorrir.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015


O Medo e Suas Assombrações!

Ah! Que maravilha de texto! Uma viagem.... Na Sala de Protheus!  É bom sentir medo. O medo nos impulsiona. O que mais me assusta mesmo, pior que a mula sem cabeça é a revelação de sentimentos que mostram a carência total de humanismo daqueles que não conseguem se comover com os sofrimentos dos outros. Abandonando-os a própria sorte.  É muito comum, pessoas viverem em função do julgamento dos outros: "O que as outras pessoas pensam? Pessoas sem confiança em si mesmo. É preciso se auto policiar quanto ao comportamento e atitude, respeito e confiança. O medo em demasia torna as pessoas inseguras e incapazes de tomar decisões para a superação das circunstâncias que produzem sofrimentos. Assim, ser capaz de olhar  "..em cada esquina, ruas, estradas, jardins, palacetes, salões de festas, salas de reuniões, gabinetes, Poderes Legislativo, Judiciário e Executivo e à surdina, sempre como um metal pontiagudo em nosso peito, entrando sem pedir licença, nos desestruturando a cada sentença, Decreto, Medida Provisória, Novas Leis, Deveres..." torna-se muito mais difícil. 
Não há outro caminho para a transformação social senão, com a nossa própria revolução humana
. Inspirando assim, outras pessoas a fazerem o mesmo. 



terça-feira, 7 de julho de 2015

O Bicho. Este poema de Manuel Bandeira, desde que li, jamais o esqueci. É o retrato da miséria humana!

Vi ontem um bicho
Na imundice do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem

(Manuel Bandeira) 

quarta-feira, 1 de julho de 2015

A CASA DE PEDRA

Lindo poema! Casa de Pedra. De Pedro Luso de Carvalho. Me fez viajar na tentativa de encontrar a menina que um dia partiu.... Me lembro do barco partindo no mar solidão, Viajando no infinito do meu coração. Levando a menina e seus sonhos que um dia jurou. Ver o mundo em harmonia cantando Blues and Rock’in roll.... É preciso louvar a vida. É preciso acreditar no amor.... Aquela criança, os nossos sonhos, não podem perecer. 


Paro por algum tempo, não sei quanto,
em frente a velha casa, escondida
entre altos prédios e tantos palacetes.


Passaram-se anos e anos, e retorno
agora a antiga casa, feita de pedra
– abrigo e conforto da minha infância.


Como ficou pequena a casa de pedra!
Não parece ser a casa da minha infância 
-reino de brinquedos e de risos.


Qual lufada de vento minuano,
entro na velha casa de pedra.
Encontrarei nela a criança que fui?


Posso, homem com tantos caminhos
andados, retomar o lugar da criança?
– Meus músculos limitam espaços.


Falta-me fôlego, apertam-me garras
no peito, que expande macabro chiado. 
Ave de rapina arrebatara o menino.




segunda-feira, 22 de junho de 2015

Felicidade agora



Ê mama
É preciso mudar tudo agora
Ê mama 
A notícia corre mundo a fora

Chega de fazer tanta quizumba
Esta vida é tão curta
É preciso ser feliz agora
A felicidade
É ouro, é ouro

Eu sou feliz 
Você feliz
Povo feliz
Felicidade agora

O vento da mudança soprou
Alegria e liberdade ao nosso povo
Deixa o coração explodir
É ouro, é ouro

Eu sou feliz
Você feliz
Povo feliz
Felicidade agora

Feliz, feliz, feliz, feliz agora.

(NiceVeloso)

Barrica de amor

video

Sei que você vem de longe
Querendo me conhecer
Decifre mas, não remate
Posso te surpreender
Quilometragem rodada
Tenho na sola dos pés
Traga na mala alegria
Deixe a tristeza de mão
Sou barra não sou do dia
Sou rica sem cabedal
E se juntar os dois como é que fica 
Barrica pra guardar amor a mais

(NiceVeloso)

domingo, 10 de maio de 2015

Todas as mães




     
ÀS MÃES DO MUNDO - A observação de uma sábia mãe qdo um piloto na guerra caiu em território inimigo- "Que terrível! a mãe deve estar muito preocupada com ele." Era irrelevante para ela se o piloto era um inimigo ou não. Sua resposta me impressionou muito.
A partir de seu exemplo, eu sinto fortemente que não há nenhuma razão para que uma mãe sinta em desvantagem ou pensar mal de si mesma só porque ela não tem um alto nível de educação.
Uma mulher que tenta aprender com tudo e tem a confiança necessária para utilizar plenamente a sabedoria que ela ganha em sua vida diária vai dar um exemplo insubstituível para os filhos.
Minha Mãe
(Ensaio de Daisaku Ikeda publicado pela primeira vez na revista Mirror - Philippine, em 1998)
Minha mãe era uma mulher japonesa comum, como muitas outras mulheres nascidas no final do século 19. Ela se dedicou a seu marido um pouco difícil, e criou oito filhos, sete meninos e uma menina. Eu era o quinto filho. Havia também dois filhos adotivos, perfazendo um total de dez. A vida dela não era de forma nenhuma fácil. Meu pai, que morreu em 1956, era tão teimoso e obstinado que ele era conhecido entre os seus parentes e vizinhos como "velho obstinado." Eu sei que minha mãe deve ter tido enorme paciência para ficar com ele até o fim de sua vida.
Minha mãe também ajudou no negócio de algas da família. A produção de algas leva um tempo terrível e trabalho duro. Durante a época de colheita ela saiu todos os dias em um pequeno barco durante as primeiras horas da manhã, mergulhava as mãos na água salgada para alcançar as algas, as congelada mãos estavam sempre doloridas e rachadas. Ela tinha que cozinhar e as crianças para cuidar. Ainda assim, ela sempre manteve a casa limpa, limpando tudo, varrendo e limpando cuidadosamente cada tatame (tapete japonês) com um pano. Ela muitas vezes carregava um bebê em suas costas enquanto ela lavava à mão, ou remendado nossas roupas até tarde da noite.
Eu nunca vi fazer uma pausa ou tirar uma soneca . Presumo que ela estava muito ocupada até mesmo para parar e pensar sobre o que ela vivia. Mas ela destacou-se como uma dona de casa. Ela não poderia ter feito a enorme quantidade de trabalho doméstico que ela fez e nos manter alimentado e bem vestido se ela não tivesse sido bem organizada e metódica. Ela era tão eficiente que era quase artística. Não houve nenhum movimento desperdiçado, e nada foi colocado em um determinado lugar sem significado e propósito. Ela não foi excepcional de qualquer forma, mas eu considero que minha mãe foi uma grande mulher.
A vida era difícil para as mulheres naqueles dias. Os homens dominavam a sociedade, permitindo que mulheres tivessem poucas oportunidades e escolhas. No entanto, minha mãe chamou a sua força interior e infinitamente e reverteu para o bem de sua família em um ambiente extremamente difícil. Ela costumava chamar-nos de "os campeões da pobreza", ela sempre estava alegre e nunca reclamava. Sua presença me deu uma grande esperança e coragem nos momentos difíceis que passava.
As palavras da minha mãe são permanentemente gravadas no meu coração. Às vezes eles parecem brilhar como a luz de um diamante. Dentro de mim eu ainda posso sentir a sua voz quente e carinhosa - ela me cura mental e fisicamente. Isso me incentiva a fazer a coisa certa e me ajuda a determinar o que é certo ou errado. As palavras que eu me lembro não são extraordinárias. "Não faça nada que cause outros problemas" e "Não diga mentiras." Quando começamos a escola, ela acrescentou: "Uma vez que você decidir fazer algo, assuma a responsabilidade por ele e cumpra."
Eu também aprendi a partir de suas ações. Apesar do grande número de filhos que ela teve que lidar, desde a divisão de alimentos até a resolução de disputas, ela mostrou equidade e imparcialidade. Ela era de facto, um juíza altamente qualificada.
Lembro-me de uma vez quando estávamos cortando uma melancia. Um dos irmãos, que tinha terminado sua parte, disse à minha mãe: "Eu sei que a senhora não gosta de melancia, posso ter a sua parte?" O que minha mãe respondeu: "Oh, de repente comecei a gostar melancia", e reservou uma fatia para uma outra criança que estava ausente. Eu tenho uma memória muito viva da voz de minha mãe e da expressão naquele momento. Ele permaneceu comigo até hoje e eu lembro de ter sido movido por seu amor imparcial. Mesmo como um adulto, ela nunca esqueceu o quão importante são essas pequenas coisas para uma criança.
Um incidente que me mostrou a sua grande força interior foi durante a guerra. Em março de 1945, como o bombardeio de Tóquio intensificou, recebemos ordens para evacuar a casa em que eu havia crescido. A casa teve de ser demolida. Assim como nós tinha conseguido levar todos os pertences da família na casa de minha tia e estavam prontos para nos acomodar por causa de um ataque aéreo no bairro. As chamas subiram em torno de nós. A casa da minha tia teve um impacto direto e foi queimado até o chão. A única coisa que meu irmão mais novo e eu consegui puxar das chamas era um velho baú. À luz nebulosa da manhã seguinte, abrimos este baú, nosso único posse que restou. Dentro havia um único guarda-chuva e alguns dos grandes bonecos decorativos geralmente exibidos no Japão no dia do Festival das Meninas. De tantas coisas, isso de inútil sobreviveu às chamas! Nós lamentamos de decepção. Mesmo que ela deva tenha compartilhado nossa profunda frustração, minha mãe se recusou a ceder a ele. "Tenho certeza de que vamos chegar a viver no tipo de casa onde podemos exibir esses bonecos corretamente. Estou certa disso..." Suas palavras provocaram um sorriso, então no riso encontramos esperança.
Outro incidente durante a guerra está gravado na minha memória: Lembro-me de assistir a um americano do avião B-29 que está sendo abatido por fogo antiaéreo. Fiquei paralisado, com o jovem piloto de pára-quedas no chão. Mais tarde eu soube que ele foi atacado por uma multidão de pessoas, antes de ser arrastado pela polícia militar. Quando eu disse à minha mãe sobre isso, ela respondeu com sentimento genuíno, "Quão terrível. Sua mãe deve estar muito preocupada com ele." Era irrelevante para ela se o piloto era um inimigo ou não. Sua resposta me impressionou muito.
Minha mãe era uma pessoa muito comum que parecia contente em viver uma vida tranquila em seu próprio pequeno canto do mundo de maneira simples, despretensiosa, e assim eu aprendi muitas coisas importantes sobre a vida. A partir de seu exemplo, eu sinto fortemente que não há nenhuma razão para que uma mãe sinta em desvantagem ou pensar mal de si mesma só porque ela não tem um alto nível de educação. Uma mulher que tenta aprender com tudo e tem a confiança necessária para utilizar plenamente a sabedoria que ela ganha em sua vida diária vai dar um exemplo insubstituível para os filhos.
Minha mãe disse para mim uma semana antes de morrer "Eu ganhei na vida." Quantas pessoas podem dizer isso com confiança?