Pages

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Um cavaleiro andante

   


Noite criada por mim igual a todas as noites, nada diferente estou feliz.
Um cavaleiro andante preparou seu ritual dentro da noite criada por Deus talvez quem sabe, pelos homens. Noite explandorosa! Noite crispada de sonhos, crispada de desejos
Pássaros azuis rasgando o céu anunciam a chegada da noite. Que noite!
Jovens namorados sussurram amor, crianças que choram, outras sobresaltadas, perdidas, sozinhas, de arma nas mãos.
Mulheres que lamentam por ter perdido seu cavaleiro andante dentro desta noite....
Algemas sangrentas salpicadas de gente forte
Quebram o silèncio da noite, nesta noite só de amor!
Noite misteriosa! Onde o além fica perto do aqui e o aqui tão distante do amor de agora! 
Observando toda a magia e o mistério que envolve o espaço de lá,
Sinto a beleza ao ver a lua brilhando e flutuando no espaço de cá
 Iluminando esta noite de amor.

NiceVeloso

3 comentários:

  1. Olá, Nice.
    Gostei de seu poema, no qual se vê a poeta (Nice) fazendo o que é essencial para a poesia, o jogo de palavras de forma destemida para sintetizar um ou mais sentimentos que lhe são evocados ("Pássaros azuis rasgando o céu anunciam a chegada da noite."). Parabéns.
    Abraços..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somente verdadeiros poetas podem reconhecer a essência de uma poema. Fiquei feliz com a sua visita ao meu blog e com o seu valioso elogio, os quais são para mim um grande estímulo para continuar escrevendo e publicando minhas poesias. Obrigada Pedro Luso..
      Abraços.

      Excluir
  2. Nem preciso escrever algo, pois o Pedro Luso já descreveu meu pensamento!
    Parabéns poetisa!
    Sinta-se abraçada querida!
    Jane Di Lello.

    ResponderExcluir